quarta-feira, 15 de novembro de 2017

O RIO DE JANEIRO QUE EU AMO É ASSIM. POESIA DE ALBERTO ARAÚJO

 
 
 
 
 
 
 

O RIO DE JANEIRO QUE EU AMO É ASSIM
 
 
 
O Rio de Janeiro que eu amo é assim:
Exuberante, acalorado, puro 40 graus...
Multicolorido, perfumado de jasmim.
Alma absorvedora do amor, poesias em saraus.
 
 
O Rio de Janeiro que eu sou apaixonado é assim:
Sinos refulgentes de alegrias, poetas e suas histórias.
Tem o coração nobre, o contentamento não tem fim.
Passos acelerados. Senhor guardador de memórias...
 
 
O Rio de Janeiro que eu reverencio é assim:
Manto Sagrado entre verbos.  Terra de mil amores.
Músicas, cinemas, livros, futebol... Vivos jardins com flores!
 
Orlas delicadas, da aurora ao anoitecer, que belo arrebol!
Solo luxuosíssimo, cidade maravilhosa.
Cidade viva, eu gosto de sentir na pele a sua fissura de sol...
Rio de Janeiro, particularidade frondejante e formosa,
de coração perspicaz e alma esplendorosa.
 


 
 

BY © ALBERTO ARAÚJO
 
 
 
 
 
 
 


Nenhum comentário: