segunda-feira, 24 de abril de 2017

"LÍNGUA AFIADA: ESCRITORAS TOMAM A PALAVRA" PROMOVE CICLO DE OITO PALESTRAS COM AUTORAS PREMIADAS E CRÍTICOS LITERÁRIOS.

 
 
 
 
“LÍNGUA AFIADA: ESCRITORAS TOMAM A PALAVRA”
PROMOVE CICLO DE OITO PALESTRAS
COM AUTORAS PREMIADAS E CRÍTICOS LITERÁRIOS.
 
 
GRANDES NOMES DA LITERATURA DEBATEM
A ESCRITA FEMININA
NA CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO.
 
 
 
Nélida Piñon, Beatriz Bracher, Marta de Senna,
Margareth Rago, Marcia Tiburi e outras.
 
 
A CAIXA Cultural Rio de Janeiro recebe, de 2 a 12 de maio de 2017 (de terça a sexta-feira), o ciclo de debates Língua Afiada: escritoras tomam a palavra. Durante oito palestras, o projeto reafirma a força e a originalidade da literatura feminina no trato com temas atuais e polêmicos: desejo, prostituição, homossexualidade, amor, maternidade, e violência na ditadura e na cultura patriarcal. A entrada é gratuita, com distribuição de senhas uma hora antes de cada debate. O patrocínio é da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal.
 
 
 
 
Nélida Piñon - escritora e acadêmica.
 
 
O evento abre com Nélida Piñon, primeira mulher a entrar para a Academia Brasileira de Letras e que fará 80 anos na semana de sua apresentação. Além de Nélida, a escritora e filósofa feminista Marcia Tiburi, a ativista do movimento negro e também escritora Conceição Evaristo, a premiada autora Beatriz Bracher e a curadora Guiomar de Grammont estão entre as palestrantes convidadas.
 
 
Márcia Tiburi - escritora e filósofa.
 
 
 
Ações combativas e mitos que ligam a mulher ao desequilíbrio, pecado e perigo pautam os debates. Referenciando escritoras atuais, falecidas ou pioneiras, todos partem de temas abrangentes: a velhice em Clarice Lispector; a sexualidade em Hilda Hilst, a política em Beatriz Bracher, a pornografia em Adelaide Carraro, para discutir questões atuais. Na única mesa sobre um escritor, que acontece no dia 03 de maio, a presidente da Fundação Casa de Rui Barbosa Marta de Senna trata de Machado de Assis, cujas maiores interlocutoras eram mulheres.
 
Embora focado na produção nacional, o projeto inclui escritoras de outros países falantes da língua portuguesa. No dia 05 de maio, os professores eméritos Jorge Fernandes da Silveira e Laura Padilha abordam o corpo textual e o corpo sociopolítico em Portugal e na África das guerras anticolonialistas.
 
A curadora Clarisse Fukelman, professora da PUC-Rio e uma das precursoras no estudo das primeiras escritoras brasileiras, considera o projeto um ato político. “Traz, do passado, escritoras libertárias, perseguidas e com escrita revolucionária, além de dar voz a nomes contemporâneos” afirma. “Ora, o espaço literário é espaço de poder. Se antes as mulheres custaram a ser reconhecidas e aceitas no meio literário, mal conseguindo lugar em livros de história da literatura, agora já se nota um avanço. Mesmo assim, estão fora do currículo universitário e mais ausentes ainda no do ensino médio. Esperamos que este projeto ajude um pouco a mudar esse quadro”, complementa Fukelman.
 
 
PROGRAMAÇÃO INICIO SEMPRE ÀS 18H30MIN.
 
2 de maio (terça-feira) - A paixão da escrita. Reflexão sobre o ofício de ser escritora e sobre processo de criação, com as operações complexas entre ficcional, memória e contexto social, cultural, econômico e político. Com: Nélida Piñon – escritora / Mediação: Clarisse Fukelman.
 
Marta de Senna - Doutora em Literatura.
 
 
 
03 de maio (quarta-feira) - Moralidade e tradição: suplícios oitocentistas e vozes femininas.
Em Machado de Assis, a crítica social ao patriarcalismo se expressa nas personagens femininas e na interlocução com a leitora de ficção. Já a pressão social sobre a mulher intelectualizada e autônoma é tema das pioneiras Maria Benedita Bormann e Albertina Bertha.
 
Com: Marta de Senna – doutora em Literatura, presidente da Casa de Rui Barbosa e autora de O olhar oblíquo do Bruxo e A ilusão e zombaria.
 
 
 
Anélia Pietrani - Professora da UFRJ.
 
 
 
Anélia Pietrani – professora na Faculdade de Letras da UFRJ, coordenadora do Núcleo Interdisciplinar de Estudos da Mulher na Literatura (FL/UFRJ). / Mediação: Maria Cristina Ribas.
 
 
Margareth Rago - professora da UNICAMP.
 
 
 
 
04 de maio (quinta-feira) - Expressões libertárias: anarquismo e literatura erótica e pornográfica. Práticas sexuais interditas motivam obras de Hilda Hilst, Adelaide Carraro e Cassandra Rios, as “maiores pornógrafas da literatura brasileira”. Por outro lado, a fala anarquista de Maria Lacerda de Moura (1887-1945) inclui debate sobre amor livre. Com: Carla Rodrigues - professora doutora do IFCS/UFRJ, Coordenadora do laboratório Escritas - filosofia, gênero e psicanálise (CNPq). Autora de Coreografias do feminino. 
 
Margareth Rago - professora titular de História na UNICAMP, autora de Feminismo e Anarquismo no Brasil.
Rodolfo Londero – Jornalista, professor adjunto da UEL e pós-doutor especializado em teorias da publicidade, ficção cyberpunk e pós-modernismo. / Mediação: Adriana Azevedo
 
Jorge Fernandes da Silveira - Professor.
 

05 de maio (sexta-feira) - Territórios de afetos: poetas em países de língua portuguesa.
Consciência da escrita e erotismo movimentam o trabalho das poetas portuguesas Fiama Hasse Paes Brandão e Luiza Neto Jorge. Serão abordados também o corpo textual e o corpo sociopolítico no cenário da guerra anticolonialista na África, na obra de Alda Espírito Santo e Paula Tavares e Noêmia de Sousa.
Com: Jorge Fernandes da Silveira - Professor Emérito da UFRJ, autor de Escrever a casa Portuguesa; Luiza Neto Jorge: 19 recantos e outros poemas.
Laura Padilha - professora Emérita da UFF. Autora de Lendo Angola; Entre voz e letra: O lugar da ancestralidade na ficção angolana do século XX. / Mediação: Claudia Chigres
 
Beatriz Bracher - escritora
 

09 de maio (terça-feira) - Políticas disciplinares: autoritarismo, liberdade e autoconhecimento.
Memória e trauma conduzem narrativas que encenam o impacto emocional e cultural da ditadura militar e também narrativas de autoconhecimento que buscam, através da palavra, a superação da violência real e simbólica.
Com: Beatriz Bracher - escritora, prêmios São Paulo Literatura 2016, Rio de Literatura 2015, Clarice Lispector 2009 e APCA 2013.
 
Marcia Tiburi - professora doutora da UNIRIO, artista plástica, finalista prêmio Jabuti com o romance “Magnólia”. / Mediação: Ana Chiara
 
 
Clarisse Fukelman - professora da PUC-Rio.
 
 
10 de maio (quarta-feira) - Armadilhas do tempo.
Juventude e velhice na mídia e na literatura. Estereótipos criam dramática descontinuidade entre gerações. Na atualidade, a jovem ocupa a centralidade no discurso midiático, mas na condição de objeto. Na literatura, Clarice Lispector conecta-se a autoras que denunciam o controle da voz e da sexualidade da mulher idosa.
Com: Clarisse Fukelman - professora doutora no Departamento de Comunicação Social da PUC-Rio e autora de Eu assino embaixo: biografia, memória e cultura.
Adriana Braga - professora no departamento de Comunicação Social da PUC-Rio, autora de Personas Eletrônicas: feminilidade e interação no blog./ Mediação: Maria Antonieta Jordão.
 
 
Conceição Evaristo - escritora.
 
 
 
11 de maio (quinta-feira) - A cor da pele e a educação para a diversidade de sexo e gênero.
 
Escritoras negras pioneiras no debate da discriminação racial ecoam na ficção de Conceição Evaristo. Projetos educativos inclusivos, articulados a estudos feministas, contemplam processos de subjetivação diferenciados.
Com: Conceição Evaristo – escritora, doutora em Literatura Comparada, prêmio Jabuti 2016.
Fernando Pocahy - professor doutor na faculdade de Educação da UERJ, coordena o Grupo de Estudos em Gênero, Sexualidade e(m) Interseccionalidades na Educação e(m) Saúde.
Mediação: Giovanna Deltry.
 
Guiomar de Grammont - professora da UERJ.
 
 
12 de maio (sexta-feira) - Profissão escritoras.
Depoimentos de escritoras de diferentes gerações sobre a própria obra, a questão do feminino e feminismo e canais para difusão de seus trabalhos.
 
Com: Guiomar de Grammont - professora doutora da UFOP, Prêmio Cesgranrio e Casa de las Américas.
Simone Campos - escritora, tradutora, doutoranda pela UERJ, semifinalista do Prêmio Oceanos 2014.
Susana Fuentes - poeta, ficcionista, dramaturga, Doutora em Literatura Comparada. Finalista do Prêmio São Paulo de Literatura 2011. / Mediação: Clarisse Fukelman.
 
 
 
SERVIÇO
Ciclo de palestras Língua Afiada:
escritoras tomam a palavra
Entrada franca
(Distribuição de senhas uma hora antes
de cada debate).
Data: de 2 a 12 de maio de 2017
(de terça a sexta).
Horário: às 18h30min.
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 1.
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25 – Centro.
(Metrô e VLT: Estação Carioca).
Telefone: (21) 3980-3815.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
APOIO NA DIVULGAÇÃO
 
 
 
 
 
 
 

 

 

 
 
 
 
 

CONVITE PARA DOIS SHOWS COM O CANTOR HELCIO HIME, TEATRO UMC, VILA LEOPOLDINA, SÃO PAULO.

 
 
CONVITE PARA DOIS SHOWS
COM O CANTOR CARIOCA HELCIO HIME.
O ARTISTA SE APRESENTARÁ EM SÃO PAULO.
 

Helcio Hime - cantor

 
 
 

Show FranKamente Sinatra
Domingo - Dia 30/04 às 20h
Teatro UMC
 
Show Elvis, Cantado & Contado
Feriado - Segunda - Dia 01/05 às 21h
Teatro UMC


   Inteira R$ 40,00 - Meia R$ 20,00
  
  
Endereço

   Teatro UMC- Av. Imperatriz Leopoldina, 550
Vila Leopoldina - São Paulo - SP
Telefone da Bilheteria: 11 2574-7749


   Você pode adquirir os ingressos
on-line em Compreingressos.com
Ou na Bilheteria do Teatro.


 
 
 
Considerado o cantor com uma das mais Belas Vozes de Todos os Tempos, HELCIO HIME faz enorme sucesso!
Com vastíssimo repertório, seus shows e musicais temáticos podem ir de Elvis Presley e Frank Sinatra, à Pérolas da Música Brasileira, passando por Carlos Gardel, Broadway, Gospel Americano,  Rock N´ Roll,  Bossa Nova,  Country, Standards, Jazz, Blues, Fados, Tangos, Música Italiana e Francesa.
 


A história que HIME conta entre as músicas são um show em sí: curiosas, divertidas, interessantíssimas!  A interação com a plateia é total!

Além de cantor de fortíssima presença cênica, HELCIO HIME é um artista, palestrante e empresário completo, também dança, atua, compõe, toca violão, piano, escreve, pinta e esculpe.
 
Ingressou na vida artística aos 8 anos ao fazer o seu primeiro papel na Rede Globo.
Quando tinha apenas 16 anos, fundou sua empresa, o Grupo HIME, uma das mais conceituadas  e premiadas produtoras de tecnologia do mercado global.
 
Participa sempre de longa-metragens, mini-séries, peças de teatro e também de diversas novelas da Globo.

Ganhador de vários prêmios, como o Prêmio ABIME e a Homenagem Renato Russo de Ousadia e Arte; poliglota (Inglês, Francês, Espanhol, Português, Italiano, etc.),  Helcio é convidado a cantar em todo o Brasil e Exterior, onde se apresenta com seus famosos "Dós de peito" de excepcional qualidade e seu belíssimo timbre. 
Todo este impressionante talento vocal lhe rendeu a melhor avaliação da crítica especializada e o apelido de:  "Elvis Sinatra Pavarotti"!

Além da parte musical, os shows de Helcio são apreciados pela grande sinergia com a plateia e pelo texto que são escritos pelo próprio Hime, merecedor de honrarias literárias como o Prêmio Hans Christian Andersen do Governo Dinamarquês, ABL - Academia Brasileira de Letras, entre outros.

Helcio HIME conquista o público a cada apresentação, arrebatando sorrisos, suspiros e lágrimas de sua platéia com toda emoção que transmite em seus shows.


"Voz Lindíssma e Super Afinada" 
Hildegard Angel


 
"The Best Voice of Brazil"  
Miramar Mangabeira
"Amei, Fiquei Emocionada"  
Narciza Tamborindeguy 
"Ninguém Sinatreia como Helcio Hime" 
Georgiana Guinle
"Emociona! Repertório e Apresentações Impecáveis" Vera Tabach coluna Ciro Batelli



Contato

The Number One Talentos
Telefones:
(21) 2548-3508
(21) 99617-6886 (tim)
(21) 98881-4565 (oi)

 
**************************


  
    Clicar na imagem para assistir
Helcio Hime
cantando a música "Foi Deus".
Vídeo produzido por Alberto Araújo.
(baixa resolução, pois feito com celular)
 
OU CLICAR NO LINK DO CANAL YOU TUBE
DO FOCUS PORTAL CULTURAL
 




APOIO CULTURAL NA DIVULGAÇÃO
 
 
 






CONVITE DA ASPI-UFF PARA RECITAL LÍRICO COM A SOPRANO ALINE BRITO, DIA 27 DE ABRIL ÀS 14 HORAS.

 
 
 
(Clicar na imagem para ampliá-la)
 
 
A Associação dos Professores Inativos da UFF (ASPI-UFF) apresentará, no próximo 27 de abril (quinta-feira), às 14h, em seu Sarau Vespertino, o Concerto Lírico com a soprano Aline Brito.
Acompanhamento ao piano: Sérgio Lavor e Heloiza Carestiato Fidalgo. Participação especial do Coro Lírico Heloiza Fidalgo.
A ASPI fica localizada na Rua Passo da Pátria 19, São Domingos, Niterói/RJ/Brasil.
Informações: (21) 2622-1675 | 2622-9199.
 
 
 
 
ASPI-UFF - NITERÓI
(FOTO: Arquivo-Focus Portal Cultural)
 
 
 
APOIO NA DIVULGAÇÃO
 
 
 

 

 
 
 
 
 
 

 

domingo, 23 de abril de 2017

ACADEMIA NITEROIENSE DE LETRAS CONVIDA PARA PALESTRA: A ARTE DO HAICAI COM PAULO ROBERTO CECCHETTI. CONFIRA.


 
 
 
 
 
 
 
ACADEMIA NITEROIENSE DE LETRAS
 
 
convida para Ciclo de Palestras
“A ARTE DO HAICAI“
Palestrante: Paulo Roberto Cecchetti.
 
 
Dia 26 – quarta-feira, às 17 horas, Sede da ANL - Entrada Franca. Rua Visconde do Uruguai, 456 – Centro. Niterói - RJ - Brasil.
 
 
 
 
UM POUCO SOBRE PAULO ROBERTO CECCHETTI


 
PAULO ROBERTO CECCHETTI- Niteroiense, publicitário, editor, letrista, curador, poeta, membro da Academia Niteroiense de Letras.
 
Idealizador do projeto Escritores ao ar Livro. Com dezenas de livros publicados, com destaque para: Alvoramada (poesias, 1987); Cardumes (haicais, 1988); Pleno Pensar (crônicas, 1989); Quintal (haicais, 1997); Meu gato de nome Mário (poesias, 2005); Poética emoldurada (haicais onomásticos, 2009) e Sete vidas em haicai (haicais, 2010).

Os livros: Cardumes, Quintal e Meu gato de nome Mário tem ilustrações do saudoso artista plástico Miguel Coelho, com bicos-de-pena e aquarelas; Sete vidas em haicai tem aquarelas de Fernando Brevense.




 
 
 
APOIO NA DIVULGAÇÃO


 
 
 
 
 
 
 
 

quinta-feira, 20 de abril de 2017

CONVITE PARA EXPOSIÇÃO: ENTREMEIO COM AQUARELAS DE LUCIANE VALENÇA E HAICAIS DE PAULO ROBERTO CECCHETTI, NA SALA LEILA DINIZ.

 
 


O trabalho da artista plástica Luciane Valença já é reconhecido na cidade. Essa mostra é uma coleção de peças pintadas em aquarelas. As ilustrações pelo outro lado foram parar na pena do poeta e publicitário Paulo Roberto Cecchetti, que juntou com seus suaves haicais e os transpôs para  lindas e ilustrativas telas. Assim, todo esse material, para o bem de seus admiradores, será exposto, no dia 05 de maio de 2017, às 19 horas, na Sala de Cultura Leila Diniz. Imperdível! Vale conferir.
 
 
 


 

 

 
SERVIÇO
Exposição: ENTREMEIO
Luciane Valença/Aquarelas e PRCecchetti/haicais;
Local: Sala de Cultura Leila Diniz/Imprensa Oficial
Endereço: Rua Profº Rubens Carrilho, nº 81 -
Centro - Niterói- RJ - Brasil. 
Período: de 05 a 30 de maio de 2017;
Vernissage: 05 de maio, às 19 horas.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
UM POUCO SOBRE LUCIANE VALENÇA
 
 
 
 
Designer, Artista Visual e Ilustradora, Luciane Valença trabalha com comunicação visual há mais de 10 anos. Nascida em 1975, em Niterói, a artista é fundadora do Atelier Valença & Arts, e vem se destacando no cenário artístico nacional com um estilo único e a vontade de realizar trabalhos viscerais, com inserção vital em sua arte.

Ganhadora de vários prêmios, já assinou capas de editoriais, cadernos e livros. Em 2008, criou a ilustração da capa do livro "O Ciclo do Tempo", de Simone Boger, publicado pela Editora Brahma Kumaris. Em 2010, resolveu trocar as cores do Pantone e o Photoshop pelas tintas acrílicas e pincéis, utilizando materiais recicláveis em sua primeira exposição, “Atelier de Portas Abertas”.

Em seu blog de arte "Design e Arte Visual", Luciane propõe uma troca e disseminação da arte, através de suas impressões e divulgação de trabalhos de vários artistas em seus mais variados estilos. 



UM POUCO SOBRE PAULO ROBERTO CECCHETI
 

 
PAULO ROBERTO CECCHETTI- Niteroiense, publicitário, editor, letrista, curador, poeta, membro da Academia Niteroiense de Letras.
 
Idealizador do projeto Escritores ao ar Livro. Com dezenas de livros publicados, com destaque para: Alvoramada (poesias, 1987); Cardumes (haicais, 1988); Pleno Pensar (crônicas, 1989); Quintal (haicais, 1997); Meu gato de nome Mário (poesias, 2005); Poética emoldurada (haicais onomásticos, 2009) e Sete vidas em haicai (haicais, 2010).

Os livros: Cardumes, Quintal e Meu gato de nome Mário tem ilustrações do saudoso artista plástico Miguel Coelho, com bicos-de-pena e aquarelas; Sete vidas em haicai tem aquarelas de Fernando Brevense.







APOIO NA DIVULGAÇÃO